A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) E A EDUCAÇÃO BÁSICA: APRENDER A APRENDER COMO CAMINHO PARA APRENDER A PENSAR

Rogério Rodrigues

Resumo


Este ensaio tem como objetivo analisar as possíveis relações entre o ensinar e o aprender na proposição que se encontra presente na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A partir do BNCC, a pergunta central deste ensaio é se é viável a proposição de usar máquina de calcular no ensino fundamenta para o ensino da matemática. O método utilizado para a construção deste estudo tem como proposição investigativa a teoria crítica para analisar o campo educacional. Conclui-se que o ato de inserir, precocemente, o uso da máquina de calcular no ensino da matemática não se encontra fundamentado nas teorias de aprendizagem e, portanto, pode indicar apenas elemento de modismo pedagógico relacionado ao uso das tecnologias digitais. Torna-se preocupante a precarização do ensino escolar, em que os resultados dessas ações do modismo pedagógico podem impedir a constituição do sujeito reflexivo no permanente trabalho na experiência do pensamento como lugar do aprender a pensar.


Palavras-chave


Filosofia da Educação; Educação básica; Ensino; Aprendizagem; Máquina de Calcular.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter