A CRIANÇA DA EDUCAÇÃO INFANTIL E AS NOVAS FAMÍLIAS: CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS

Jacqueline R. Bianchi Enricone, Marlei Salete Ostrowski

Resumo


A sociedade adota mudanças em todos os níveis conforme a evolução dos tempos. Para acompanhar tais avanços, também a família, importante instituição social, se submete a alterações estruturais, na medida em que busca atualizar-se no contexto em que está inserida.  Juridicamente são aceitas como família muitas formas de uniões. Contudo, a preocupação com o preconceito ou a discriminação dos filhos dessas uniões não convencionais, é transferida para a educação infantil, primeiro ambiente socializador depois da família. Para tal, torna-se importante conhecer a opinião docente, bem como osprocedimentos adotados no trabalho com crianças oriundas dessas novas realidades familiares. Neste sentido, realizou-se pesquisa qualitativa, através de entrevistas semi-estruturadas com cinco professoras de educação infantil oriundas de cinco escolas públicas que trabalham exclusivamente com este nível de ensino. A pesquisa apontou contradições entre o conceito contemporâneo de família apresentado pelas professoras e suas práticas pedagógicas  que revelaram a presença de preconceitos e dificuldades com as “novas famílias”. Demonstra também que a escola precisa se adequar a estas novas concepções e lidar com elas de forma igualitária, pois a integração entre a família e a escola é fundamental para o desenvolvimento e a aprendizagem infantil.


Texto completo:

PDF PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter