CONFLITOS NA ESCOLA: MEDIAÇÃO E (DES)CONTROLE

Antonio Mateus Carvalho Soares

Resumo


A violência escolar é um fenômeno que cresce mundialmente e  pode ser atribuído a diversos fatores que dilaceram os códigos de convivência e subvertem a civilidade e a ordem do funcionamento da instituição escolar, que além de se responsabilizar pela  formação da educação formal  do estudante, passa a ter que gerenciar atos indisciplinares mais graves. A questão principal analisada neste artigo no âmbito da violência escolar na capital baiana, é que algumas escolas ao demonstrarem  impotência frente ao crescimento deste fenômeno, passam a ter no processo de intermediação da violência a presença de instituições externas ligadas à Segurança Pública. Em Salvador, a evolução da violência escolar, conforme veremos através da análise de  dados estatísticos, ao passo que revela as dificuldades das instituições de ensino de lidarem com a situação, apresentam a mobilização participativa de novos agentes externos na gestão dos fatos, a exemplo da  Delegacia do Adolescente Infrator – DAI e da Ronda Escolar da Policia Militar, órgãos públicos ligados a Segurança Pública do Estado.

 


Palavras-chave


violência. escola. segurança pública

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de Ciências Humanas




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter