AS AVALIAÇÕES EXTERNAS NA PERCEPÇÃO DOS(AS) DIRETORES(AS) DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE RIO GRANDE

Fabrício Monte Freitas, Gionara Tauchen

Resumo


O presente trabalho traz uma análise dos impactos e das impressões dos diretores das escolas municipais urbanas da cidade do Rio Grande – RS a respeito das avaliações externas realizadas pela União. Discute as relações entre o Estado Avaliador, a qualidade do ensino e as avaliações externas realizadas por meio da Prova Brasil, que, juntamente com os dados de discrepância do fluxo escolar, formam o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB. O estudo, de natureza qualitativa exploratório-descritiva, foi realizado junto a vinte e cinco diretores escolares que participaram de uma entrevista semiestruturada, analisada por meio da Análise de Conteúdo. As entrevistas foram desenvolvidas pelo grupo de pesquisadores como parte do projeto “Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão: investigando concepções, indicadores e estratégias de articulação no contexto universitário”. Para isso, analisamos duas questões: “O que você pensa a respeito dos sistemas nacionais de avaliação e sobre o IDEB?” e “Quais são os impactos dessas avaliações nos professores e alunos? São promovidas mudanças na escola?”. Concluímos que os gestores escolares podem mediar os sentidos e significados das avaliações externas junto à comunidade escolar, utilizar os resultados como mecanismo de reflexão e promover mudanças didático-pedagógicas que contribuam com a qualificação da educação escolar.

Palavras-chave


Estado Avaliador. Gestão educacional. Qualidade do ensino.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter