AVALIAÇÃO COMO PODER REGULADOR: A CONCEPÇÃO DE PROFESSORES DE PEDAGOGIA

Senhora lucia Almeida, Vera lucia Almeida, Mara Regina De Sordi

Resumo


RESUMO: A avaliação como força histórica, cultural e política, provoca reflexos na prática do cotidiano escolar, apresenta-se como um poder instituído e se faz necessário refletir sobre suas representações e valores para o profissional da educação. O objetivo deste artigo é discutir sobre avaliação como poder regulador, a partir das concepções de professores sobre a avaliação escolar em comparação com o projeto político pedagógico. Foi realizada uma pesquisa com vinte professores de um curso de Pedagogia, perguntando sobre a concepção de avaliação frente ao projeto pedagógico institucional. De modo geral os professores responderam que entendem a avaliação desconectada com o projeto político, e que, no entanto deveria ter uma ação integrada, com participação mais intensa do próprio docente para os processos avaliativos com os alunos. Avaliação entendida como objeto de poder quase sempre gera conflitos, ansiedades, transtornos e consequentemente, questões entrelaçadas nas relações entre professores e alunos, e análises provocativas, entender a concepção de professores sobre a avaliação, parece ser um passo importante para refletir possibilidades de mudanças nas relações escolares. Para tanto, orientar as práticas pedagógicas e redefinir continuamente os objetivos, as metas, acadêmicas e em sala de aula, no contexto sócio- econômico e social, exigem estudos e pesquisas científicas. Palavras-chave: Avaliação. Formação de Professor. Ensino Superior.

Palavras-chave


Avaliação. Formação de Professores. Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter