O ENSINO MÉDIO E OS REFORMADORES EMPRESARIAIS DA EDUCAÇÃO: NA CONTRAMÃO DA PROPOSTA DOS EDUCADORES

LUZIANE SAID COMETTI LÉLIS

Resumo


O texto apresenta a maneira como o ensino e a economia vem sendo articulados pelas políticas neoliberais implementadas a partir do século XXI. Analisa as implicações da reforma do Ensino Médio para a juventude brasileira, ao limitar a formação humana e direcionar o currículo para a formação de “personalidades produtivas” que atenda ao modelo de organização mais flexível, assim como a melhoria dos resultados nas avaliações externas. Trata-se de uma revisão bibliográfica inserida nos debates sobre trabalho-educação-juventude evidenciando duas concepções de formação humana em disputa: a dos educadores progressistas e a dos reformadores empresariais da educação. Constata-se que a recente reforma da última etapa da educação básica legaliza a existência de diferentes finalidades educativas para atender os interesses do capital, abrindo espaço para o empresariado assumir a gestão da educação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter