ATAQUE AO PENSAMENTO CRÍTICO E O NASCIMENTO DE UM NICHO NO MERCADO EDUCATIVO.

Verônica Ventorini Ferreira, Berenice Corsetti

Resumo


O ensaio que apresentamos é oriundo de um estudo sistemático sobre a fundamentação ética da educação a partir do Movimento Escola Sem Partido (MESP). Tratamos o assunto, neste texto, a partir do campo das políticas para educação, tomando como referência nosso tempo caracterizado pelas relações entre os setores público e privado, que conferem caráter de mercadoria a direitos básicos do cidadão. A educação, um desses direitos, há muito é permeada por parcerias que desfiguram seu caráter de pilar fundador do Estado de Direito. Ainda observamos um segundo fenômeno, o movimento das ideias pedagógicas descortinado nessas organizações que interferem diretamente na educação. Nossos estudos buscam acessar esse fenômeno observando o modo como se apresenta, estrutura e justifica o Movimento Escola Sem Partido. Em nosso ensaio propomos apresentar a instrumentalização da crítica a Paulo Freire, presente no MESP, como fundamento de sustentação para uma possível parceria público-privada, às custas da dignidade dos profissionais e das instituições de educação básica e superior brasileiras, bem como do pensamento de uma referência planetária no campo educativo e do legado oriundo das teorias críticas.


Palavras-chave


Educação; Ética; Paulo Freire; Escola Sem Partido.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter