VIOLÊNCIA NA OBRA DE MARCO POLO: BANDIDOS, ASSASSINOS E CORSÁRIOS NA TERRA DAS MARAVILHAS

Letícia Schneider Ferreira, Otávio Binato Jr.

Resumo


A rota da seda constituía-se em uma rede de canais de comunicação entre o Oriente e o Ocidente, através dos quais se realizava não apenas comércio como trocas culturais. O trânsito permanente de artigos de luxo e outras riquezas, atraía a cobiça de grupos que se valiam do uso ilegítimo da força: os bandidos. Entre os viajantes ocidentais mais conhecidos está Marco Polo, mercador veneziano que empreendeu uma viagem à China entre 1271-1275. Ao retornar a Veneza, relatou suas experiências ao escritor Rustitchello de Pisa, dando origem ao “Livro das Maravilhas”.  A presente pesquisa se vale deste texto a fim de analisar a violência nesta obra de Marco Pólo. Analisaremos três grupos de atores sociais que fazem uso desta violência, bandidos, assassinos e corsários.


Texto completo:

PDF PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter