Expressividade estética e educação para emancipação: anotações a partir do pensamento de th. W. Adorno

Alex Sander da Silva

Resumo


Este ensaio tem como ponto básico compreender os desafios apontados pelo sentido da expressividade estética na perspectiva da educação para a emancipação. Nesse sentido, cabe-nos colocar uma questão: O que significa pensar a educação para emancipação na perspectiva da expressividade estética? Isso significa possibilitar a capacidade de abertura para a sensibilidade estética, particularmente, naquilo que Th. W. Adorno anotou como movimento de constituição e desdobramento das obras arte. Interessa anotar, num primeiro momento, a condição da subjetividade, vinculada a uma profunda danificação da vida no contexto do capitalismo atual. Em seguida pretende-se, assim, analisar até que ponto a educação ainda é um recurso fundamental para uma formação cultural para emancipação crítica dos indivíduos e até onde estão seus limites. Por fim, apontamos para a necessidade daquilo que tratamos a partir do pensamento de Adorno de uma racionalidade estético-expressiva como forma de se contrapor aos ditames de uma “lógica instrumental” na ação educativa. 


Texto completo:

PORTUGUÊS ESPANHOL

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter