Formação Acadêmica Guineense No Brasil: Cooperação E Multiculturalismo

Samuel de Andrade Lima, Hermano Machado Ferreira Lima

Resumo


O presente artigo revela o sentimento maior que move o jovem africano guineense a trilhar caminhos de uma formação superior fora do seu país que justifique seu progresso e ser um possível construtor das transformações socioeconômicas dos países envolvidos nessa cooperação. Imbuídos no mesmo anseio de ampliação dessa relação entre os países em questão, expõe-se os objetivos específicos da pesquisa registrados da seguinte forma: identificar o motivo da escolha do Brasil pelo jovem guineense; mensurar o peso da escolha do curso aos possíveis impactos de sua atuação no mercado brasileiro ou guineense; registrar a importância da ação desenvolvida pela iniciativa privada no segmento educacional, através da cooperação para uma sociedade brasileira e guineense mais justa e igualitária. Diante do exposto pelos objetivos da pesquisa é que se almeja saber se de fato, esse público, após todo o processo de formação, serão capazes de garantir contribuições que resultem nas profundas transformações sociais, políticas, econômicas em meio a tantos desafios aos quais atravessam os países envolvidos. Os resultados da pesquisa traram à tona uma série de reflexões sobre as relações estabelecidas entre Brasil e África.

 

 


Palavras-chave


Guineense; Formação; Cooperação; Brasil; África.

Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter