POVO KAINGÁNG: ENTRE A CRUZ E A ESPADA / KAINGANG PEOPLE: BETWEEN THE CROSS AND THE SWORD

Breno A. Sponchiado

Resumo


Neste ensaio pretendemos analisar, numa perspectiva histórica, os processos de contatos inter-étnicos e interferências a que o povo Kaingáng, localizado em sua maior parte no Norte do Rio Grande do Sul, foi submetido nos últimos dois séculos. Enfocaremos as duas instituições que estabeleceram constantes relações com os indígenas: a cristandade, sobretudo a Igreja Católica (cruz) e o Estado (espada). Enfocaremos as suas diferentes estratégias e interesses, sublinhando a compreensão do modo de ser Kaingáng como incompatível aos projetos implementados, advindo daí os mecanismos de desaculturação e integração. Por fim, apontamos a reviravolta na trajetória do Povo Kaingáng, que está a apresentar nítidos sinais de revitalização, que permitem vislumbrar um novo futuro, construído sobre relações baseadas no respeito mútuo e na solidariedade.

Palavras-chave


Povo Kaingáng. Catequese indígena. Políticas indigenistas.

Texto completo:

PDF PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter