A APORÉTICA DA TEMPORALIDADE EM SANTO AGOSTINHO E PAUL RICOEUR

Ricardo André Ferreira Martins

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo desenvolver uma
reflexão entre as concepções de tempo e narrativa na obra de Santo
Agostinho e do hermeneuta francês Paul Ricoeur. Procura-se, entre os
dois pensadores, distinguir as diferentes formas como concebem a
historiografia e a narratologia e, particularmente, em Ricoeur, percorrer o caminho que o pensador francês utilizou para chegar, por meio de Agostinho, à sua concepção de tempo, narrativa, história, literatura e a psicologia humana, em uma tentativa de impor limites entre uma aporética da temporalidade com base em uma teoria psicológica do tempo em Agostinho e uma teoria cosmológica em Aristóteles.

Palavras-chave


Tempo. Narrativa. Hermenêutica. Aporética. Literatura. Filosofia.

Texto completo:

PDF PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais




(c) Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250.

Qualis/CAPES: B4 - Educação e B3 - Ensino

Prefixo DOI: 10.31512

E-mail: rhumanas@uri.edu.br

 

 * Contagem iniciou em 28/04/2019.

Flag Counter