A FILOSOFIA DA LINGUAGEM NA PERSPECTIVA DE LUIS ALBERTO WARAT

Saimon Riboli, Jean Mauro Menuzzi

Resumo


A linguagem é de suma importância na vida do jurista, pois o mesmo utiliza-se dessa para sua atuação profissional, pessoal e científica. Em tempos turbulentos, buscar uma forma de ampliação do alcance de um discurso, texto ou decisão é algo primordial, utilizando-se do método waratiano de linguagem que possibilita ao leitor, ou, ao destinatário da fala, além de compreender o que foi dito, situar-se de acordo com as intenções do autor e a partir disto, assumir uma posição crítica, que torne o debate, a criação de ideias e pensamentos mais fluida e menos embasada no óbvio. Nesse sentido, surge à filosofia da linguagem waratiana, que mesmo após muitos anos, aquilo que o mestre Warat afirma, mostra-se atual e aplicável. As circunstâncias que fazem da filosofia da linguagem de suma importância para os ideais waratianos, estão vinculadas ao pensamento de utilizar a evolução de um discurso baseado em argumentos que façam o pensamento crítico florescer seja no interlocutor ou no leitor ao qual é destinado um texto ou discurso jurídico, evidente que uma reforma baseada em ideais que vão contra o comodismo, o engessamento do pensamento, a construção de um raciocínio que possibilite a intuição lógica do que é debatido, formando juristas críticos e preocupados com os anseios apresentados pela sociedade.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.