ESTADO DE NATUREZA E LIBERDADE CIVIL EM LOCKE

Andrei Pedro Vanin, Adriana Rech

Resumo


 

Este artigo objetiva fazer uma pequena análise de como Locke em sua obra II Tratado sobre o governo civil caracteriza o estado de natureza e a liberdade civil. Para tanto, num primeiro momento analisa-se o que configura o estado de natureza, suas características e o que leva o indivíduo a fazer a passagem deste para a sociedade civil. Ainda nesta seção, abordam-se como os homens podem, já no estado de natureza, serem guiados por leis naturais que regulam, de certa forma, a relação entre os indivíduos. Já na segunda seção deste artigo, aborda-se o que vem a ser a liberdade civil no estado pensado por Locke. Trabalhar-se-á ainda como Locke pensa o estado civil, a divisão de poderes, a escolha dos governantes e o porquê do estado civil ter a tarefa de garantir os direitos fundamentais a vida, a liberdade e a propriedade.

 

 


Palavras-chave


Locke, estado de natureza, liberdade civil, propriedade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. ISSN 2318-2911